terça-feira, 22 de janeiro de 2008

A Dracma Perdida

(Lucas 15:9-16): "Qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma não acende a candeia, varre a casa e a procura diligentemente até encontrá-la?" Por que digo que esta parábola fala de 'procura', de procurar algo diligentemente? Esta parábola se caracteriza por de enfocar uma mulher - pessoa sem expressão ou destaque na sociedade da época -, e uma moeda - algo de uso comum mas que, neste caso, tinha sido elevada à uma posição de honra. A dracma tinha valor especial para a mulher porque mostrava a sua dignidade e honra perante a sociedade. Como Paulo disse: "Deus aprouve revelar Seu Filho em mim, para que eu pregasse entre os gentios" (Gál.1:15). E Pedro disse que, mesmo nada podendo fazer por nós mesmos, somos "de propriedade exclusiva de Deus, a fim de mostrarmos as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa Luz"(1 Pedro.2:9). A posição do cristão perante Deus é algo extraordinário. Por que digo isso? Porque mesmo que para os outros sejamos 'comuns', temos uma posição de honra perante Deus, "a fim de mostrarmos as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa Luz". A dracma mostrava "as virtudes' da mulher, e por isso ela tudo fez para recuperá-la. Será que você vive perante o mundo como Deus quer, ou será que você é como a 'dracma perdida'?

Enquanto eu considerava isso, o Espírito Santo me levou para Romanos 8:26,27: "O Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza, porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que intercede pelos santos". Por isso eu disse que nessa parábola Jesus enfoca 'a procura' de algo muito precioso.

O que é lamentável é que a maioria daqueles que se chamam cristãos vejam o Espírito Santo como uma 'mulher sem destaque, sem expressão', quando na verdade é Ele quem faz tudo para que você e eu ocupemos posição de honra perante Deus. O Espírito Santo nada faz em benefício próprio, e não se dá por vencido mesmo se nós ficarmos como 'dracma perdida', isto é, sem "mostrar as virtudes" do nosso Deus. Ele procura diligentemente, em todo momento, promover a nossa plena recuperação.

Não é fácil para nós entender 'a posição de honra' da dracma, aquilo que a fez ter valor inestimável. Será que mostrar "as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa Luz” é algo banal, de pouco valor? É muito triste observar como muitos cristãos vivem no meio da sociedade como a 'dracma perdida', sempre queixando-se de falta e sem nenhum entendimento quanto à grandeza de estar com o Senhor, e não nas mãos dos ímpios.

Deus disse: "Aos que me honram, honrarei"(1 Samuel 2:30). Por dar honra à mulher, a dracma se torna honrada. Assim também, na medida em que você e eu honramos a Deus, somos honrados. Por isso é importante que não sejamos a 'dracma perdida'; "se somos infiéis, Ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo"(2 Timóteo 2:13). Deus sempre nos procura diligentemente ou, como Paulo diz: "O Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza, porque [nós como dracma perdida, que nada pode fazer para ser encontrada] não sabemos orar como convém"(Rom.8:26). E é disso que precisamos tratar a seguir: como o Espírito Santo – que recebe tão pouca consideração no meio cristão - nos 'procura diligentemente'.

Espero que você não ache estranho que eu diga que o Espírito Santo é maltratado e de pouca consideração no meio da igreja. De fato, vejo que todos falam do Espírito, mas são poucos os que sabem ouvi-lO. Muitos acham que viver 'em espírito', em comunhão com o Altíssimo, e ter diálogo franco e honesto com Deus é impossível - mas é exatamente para esse fim que o Espírito Santo habita em todo aquele que nasceu de novo em Cristo Jesus. Não é sem razão que o apóstolo Paulo diz que "o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura"(1 Coríntios 2:14). O meio cristão está cheio de 'homens naturais', até mesmo nos púlpitos, e por isso há tantos cristãos como 'dracmas perdidas'.

Não é por acaso que Paulo diz em Romanos 8:26, 27 que "não sabemos orar como convém". O que uma ' dracma perdida' em casa pode fazer em benefício próprio? Para ser restaurada à posição de honra, "mostrando as virtudes" daquela que a coloca em posição de honra, a dracma da parábola precisa da mulher; do mesmo jeito, você e eu precisamos do Espírito Santo para 'nos achar', isto é, "nos assistir em nossa fraqueza".

Considere isso na prática do seu dia-a-dia, em momentos em que você não sabe o que fazer. Você está 'dentro da casa', sim, mas perdido, sem saber como "proclamar [no texto original a palavra é ´exibir´] as virtudes dAquele que vos chamou das trevas (perdição) para a Sua maravilhosa luz"(1 Pedro 2:9). As pessoas no mundo não têm como apreciar as maravilhas de Deus senão vendo-as em sua vida. A dracma na testa da mulher é como uma peça preciosa colocada em exposição: ela não clama, não se exibe, mas sim mostra as 'virtudes da mulher', 'em razão da honra que lhe foi conferida'. E, para vivermos nessa condição,, precisamos que o Espírito Santo cuide de nós sempre. E como Ele faz isso?

Observe como a mulher procedeu e você entenderá exatamente como o Espírito Santo procede ao "interceder por nós com gemidos inexprimíveis". Na parábola, Jesus diz que a mulher "acende a cadeia e varre a casa". Em outro trecho, ele diz: "Nada há oculto, que não haja de manifestar-se, nem escondido, que não venha a ser conhecido e revelado. Vede, pois, como ouvis; porque ao que tiver, se lhe dará; e ao que não tiver, até aquilo que julga ter lhe será tirado"(Lucas 8:17,18). Se você é remido - colocado em lugar de honra perante Deus - Ele zela por você como disse o apóstolo Tiago: "É com ciúme que por nós anseia o Espírito, que Ele fez habitar em nós"(Tigo 4:5). Por isso Jesus disse: "Vede como ouvis"; porque se nós não ouvirmos - dermos atenção ao Espírito Santo, que intercede por nós - estaremos na desobediência que gera a morte. ´Desobediência´, em termos de Deus, é 'deixar de ouvir a Ele', o erro de Adão e de Israel. Não permita que esse seja o seu problema.

Paulo diz que "Aquele que sonda os corações, sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus, é que intercede pelos santos" (Rm.8:27). Deus exprime a "mente do Espírito" quando diz: "Tu és meu” (Is.43:1). Assim como fez com Jacó, Deus nos remiu - livrou-nos de nós mesmos. Você não é mais 'uma dracma comum' mas "propriedade exclusiva de Deus" (1 Pedro 2:9). E por isso o Espírito nos procura quando sabe que estamos como a ´dracma perdida´, que não está no lugar de honra diante do mundo; quando não estamos agindo em Deus como é devido (segundo a graça dEle, não por nenhum esforço nosso).

Observe que Paulo diz que o Espírito "sonda os corações", procurando-nos 'diligentemente' dentro da casa"com gemidos inexprimíveis". A falta de entendimento no meio cristão quanto à habitação do Espírito em nós, me deixa perplexo. Como alguém pode se dizer cristão e deixar de se conscientizar de que "nós somos templo (santuário) do Deus vivente"(2 Cor.6:16) e que o "Espírito de Deus habita em nós"(1 Cor.3:16)? É fácil constatar que muitos cristãos são exatamente como a dracma sem vida: perdidos dentro da casa. Espero que não seja o seu caso. Mas se for, observe que, como Deus disse a Jacó (aquele que vivia no engano, mas queria viver em Deus): "Não temas, porque eu te remi (... )visto que foste precioso aos meus olhos, digno de honra e eu te amei"(Is.43:1,4). Você é 'remido', isto é, liberto daquilo que te escravizava; e, por isso mesmo, você é de grande valor para Deus, já que custou a Jesus a Sua própria vida.

Ainda que você seja como a dracma perdida na casa, o Espírito te procura em todo momento, pois você nada pode fazer em benefício próprio: você não pode encontrar a si mesmo. Como é bom que Deus tenha lhe dado o Espírito Santo, que intercede por você com "gemidos inexprimíveis", e restaura você a uma vida que honra a Deus para que você seja "irrepreensível e sincero, filho de Deus, inculpável no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandece como luzeiro no mundo"(Filipenses 2:15).

Quando falo nos "gemidos inexprimíveis do Espírito", não são poucos os que me dizem: Irmão, eu não sei orar em línguas. E eu sempre respondo: Eu também não. Não foi a dracma que se achou. Os 'gemidos inexprimíveis' são do Espírito, não algo inventado ou aprendido por você. A oração em línguas é um procedimento ou ato de fé, segundo Isaías 28:11: "Por lábios gaguejantes e por língua estranha falará o Senhor a este povo". Quem 'fala' é Deus, por isso Paulo disse: "Se eu (me disponho a) orar em outra língua, o meu espírito ora de fato (acompanha o Espírito Santo); mas a minha mente fica infrutífera (não controla nada)" (1 Coríntios 14:14). Paulo diz também que "Quem fala em outra língua, não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios"(1 Cor:14.2). Ao orar em línguas, você dá condição ao Espírito Santo de agir em você. Para o homem natural, que "não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura" (1 Cor.2:14), os 'mistérios' são coisas ocultas; mas para o homem espiritual - aquele que´ouve´, isto é, obedece ao Espírito – os mistérios são 'verdades reveladas' no íntimo pelo Espírito Santo. Será que você sabe 'ouvir' o Espírito?

Você deve ter observado que eu falei em 'verdades reveladas'. A dracma não ficou perdida, porque a mulher 'acendeu a candeia' e 'varreu a casa'. Paulo disse que "o Espírito sonda os corações" (Romanos 8:27), e no livro de Provérbios lemos: "O espírito do homem e a lâmpada do Senhor a qual esquadrinha todo o mais íntimo do corpo(o coração)"(Prov.20:17). Somente o Espírito Santo pode iluminar, acender o espírito do homem para que sirva a Ele como 'lâmpada' para "esquadrinhar todo o mais íntimo do corpo", o coração que é "templo do Espírito".

Você entende o que Deus 'espera' de você? Qual é a glória do Seu chamamento? Ao honrar a Ele, você passa a ser honrado.

Já observamos que o Espírito Santo opera em nós para que sejamos 'dracmas de honra' que mostram as 'virtudes do Senhor'. Mas, para que isso seja realidade em nossa vida, é imprescindível que o nosso espírito seja 'iluminado'. Paulo disse: "Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria, e de revelação, no pleno conhecimento dEle, (de que forma?) iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do Seu chamamento, qual a riqueza da glória da Sua herança nos santos, e qual a suprema grandeza do Seu poder para com os que cremos” (Efésios 1:17-19). "Vós fostes chamados à liberdade; porém não useis de liberdade para dar ocasião à carne"(Gálatas 5:13). Não é a seu próprio modo que você honra a Deus como 'dracma remida'. Deus disse: "aos que me honram, honrarei" (1 Samuel 2:30). Será que pode haver algo melhor do que isso: Deus dizer a você: "Tu és meu"(Is.43:1)? E será que você é capaz de avaliar o quanto é triste para Deus quando você é uma “dracma perdida dentro da casa”, deixando de "ornar, em todas as coisas, a doutrina de Deus, nosso Salvador" (Tito 2:10)?

Quando é que Deus 'acende' o nosso espírito? Na minha experiência, isso pode acontecer em qualquer momento. Um dia Deus me disse de repente: "Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus"(Mat.22:21, e quando parei para ouvir, Deus me perguntou: Bernard, o que você tem que é de Deus? Respondi: O meu espírito. Então Deus me disse bem, claramente: Eu só quero que você me dei acesso ao teu espírito. Por que é só isso que Deus quer? Porque Deus somente Se relaciona comigo no meu espírito. Para Deus, eu sou o que sou de verdade, no meu íntimo. Deus não pode Se relacionar com minha alma, aquilo que eu penso, sinto e desejo; mas Ele pode ter comunhão comigo na medida em que dou a Ele acesso ao meu espírito. Como Ele diz em Apocalipse 3:20: "Eis que estou à porta (que dá acesso ao que somos de verdade), e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa (todos os aspectos da sua vida), e cearei com ele e ele comigo".

Quem perdeu a dracma foi a mulher. Em determinado momento, ela percebeu que o conjunto precioso estava incompleto: faltava-lhe uma dracma. O que fazer? A moeda certamente estava dentro da casa, mas, onde? Não estava onde deveria estar, que era ornando a mulher. Imediatamente ela "acende a candeia" e tomando a vassoura, "varre a casa". A parábola enfatiza o fato de que você é de grande valor ao seu Deus, mas não tem como recuperar a si mesmo. Quando é que vamos aceitar que, no que diz respeito ao Reino, não há nada que nós podemos fazer, e somos totalmente dependentes da operação do Espírito em nós? Jesus disse: "Sem mim nada podeis fazer"(João15:5). Por isso Ele enviou o Espírito Santo para habitar em nós. O Espírito Santo não é simplesmente um 'hóspede', Ele tem uma responsabilidade: manter o funcionamento do templo; e é por essa razão que Paulo diz: "Na verdade os que estamos neste tabernáculo (vida terrestre, não permanente) gememos angustiados, não por querermos ser despidos, mas revestidos para que o mortal seja absorvido pela vida"(2 Coríntios 5:4).

Quando você se encontra como a dracma perdida dentro da casa, você precisa tomar providências em espírito e "revestir-se do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem dAquele que o criou"(Colossenses 3:10). E como se faz isso? "Edificando-se na sua fé santíssima, (de que maneira?) orando no Espírito Santo" (Judas 20).

Pode ser que você ache essas considerações um pouco 'exageradas', mas é isso que entendo no meu espírito e desejo compartilhar com você, para que você compreenda melhor o valor e importância da operação do Espírito Santo em seu íntimo. Deus ama você e cuida de você em todo momento, mas você somente se beneficiará dos seus cuidados na medida em que realmente O ouve, procedendo em obediência, pois a nossa restauração é obra exclusiva de Deus.

Você não é mais ‘uma dracma comum' mas sim uma 'dracma remida' pelo sangue precioso de Jesus. Com que finalidade? Para ser 'dracma de honra', que honra a Deus e por Ele é honrada. Assim, você não pode se conformar em momento algum em existir como mera 'dracma perdida'

6 comentários:

Anônimo disse...

Estou casada ha dois anos e sinto que meu casamento está como a drácma perdida. Oro todos os dias pedindo ao Espirito Santo me ajudar a salvar meu casamento. O diabo tem tentado a vida do meu esposo e ele vem deixando brechas pra que isso aconteça. Peço ajuda em oração, pois o diabo tenta mais uma vez destruir uma família de Deus. Mas em o nome de Jesus Cristo tudo posso Naquele que me fortalece.

Patricia.

Gabriel Felipe Rocha disse...

muito bom esse blog, estou acompanhando sempre e estou gostando.....mas, deixo aqui este : http://palavraserio.blogspot.com/
espero que goste !!!! PALAVRA DE DEUS É NE REVELAÇÃO!!!

blogger disse...

como a sim dracma é uma moeda? estou um pouco confusa? a sei la

blogger disse...

como a sim dracma é uma moeda? estou um pouco confusa? a sei la

blogger disse...

como a sim dracma é uma moeda? estou um pouco confusa? a sei la

Pr.Clodoaldo Pereira disse...

O que é dracma?


Resposta de Pr.Clodoaldo Pereira

Pesos, Medidas e Moedas criam em nós certa confusão quando encontramos estas referências na Bíblia. Por isso é correta a pergunta pelo dracma. Afinal que moeda é esta, onde estava em uso.

Procurando maiores esclarecimentos para responder a pergunta encontrei varias definições e explicações, coloco aqui como resposta uma que julgo razoável. Assim podemos afirmar que o dracma é uma moeda grega de prata que estava em uso no primeiro século d. C , por isso encontramos referências nos evangelhos exemplo no de Lucas. (Lu 15,8, 9)

Na frente e verso da dracma ática estava estampava a cabeça da deusa Atena numa face e na outra uma coruja.

No período do ministério terrestre de Jesus, embora já existisse a presença dos conquistadores romanos a dracma já tinha seu peso reduzido para cerca de 3,4 gramas.

No primeiro século d. C., os gregos equiparavam a dracma ao denário (moeda romana), mas o governo romano calculava o valor oficial da dracma como de três quartos de um denário. Em outras palavras a moeda do conquistador valia mais.

Os judeus pagavam ao templo um imposto anual de duas dracmas (uma didracma). — Mt 17,24.

Como estabelecer o valor atual do dracma
Resumidamente podemos dizer o dracma é igual ao denário (moeda dos conquistadores romanos). Eles estabeleceram que o preço de um dia de trabalho para um trabalhador braçal equivaleria a 1 denário. Assim podemos imaginar o que um trabalhador braçal hoje ganha por dia, por exemplo, um trabalhador na coleta de frutas chega a ganhar 50 reais por dia ou uma diarista numa casa de família chega a ganhar 70 reais. (valores que varia de região para região).

Esse valor corresponderia a uma dracma.

Fonte: Manzanares, C. V., Dicionário de Jesus e dos Evangelhos, Santuário, Aparecida, 1997, pág.97.

Foto: Dracma grega, com a efínge da deusa grega Atena.