segunda-feira, 20 de junho de 2016

Princípios para uma grande colheita


Tema: Missões

Texto: João 4:27-42

Introdução: Estamos vivendo hoje no momento mais emocionante da história humana. Há mais pessoas vivas hoje do que jamais houve. Há potencial para literalmente milhões de almas serem colhidas no reino. Jesus experimentou uma colheita de almas em Sicar na Samaria. A partir deste encontro com a mulher samaritana, podemos vislumbrar alguns princípios de colheita.

Sete coisas que devemos fazer para uma grande colheita:

I. Estar disposto a quebrar a tradição. (v 27)

A. Jesus abordou a mulher samaritana: Embora fosse contra sua tradição. Ele corria o risco de ser mal interpretado, criticado ou até mesmo ceder à aparência do mal.
B. Ele expressou sua vulnerabilidade a esta mulher: Ele lhe pediu água. Este foi o ensinamento de sua vida: sendo Deus, ele se tornou homem.

II. Esteja aberto para o Espírito Santo e seus dons. (v 29)

A. O que garantiu a fé da mulher? Jesus disse-lhe algo que ele não poderia saber naturalmente. Ele estava se movendo no poder do Espírito Santo. A palavra de conhecimento (1 Coríntios 12:8).
B. A pregação do evangelho deve ser acompanhada da manifestação do poder de Deus (1 Coríntios 2:4, Marcos 16:20) O poder de Deus manifestado é um sinal que leva os incrédulos a Deus. Isso faz com que eles caiam de joelhos dizendo que Deus está entre vós (1 Coríntios 14:23-25)
C. Ela teve um encontro que resultou em um testemunho: A cidade chegou a Jesus por causa de seu testemunho (v 39)

III. Espere uma grande satisfação. (v 31-32)

A. A colheita era a comida de Jesus: Ganhar essa mulher e a aldeia de Sicar era alimento para Jesus. O alimento é para o sustento, prazer e saúde. Jesus estava prosperando neste alimento.
B. Não devemos contentar com o segundo melhor: Os discípulos estavam bem intencionados, mas não podia ver o que estava acontecendo. O inimigo do melhor não é o pior, mas o segundo melhor, as coisas boas que não são a vontade de Deus.

IV. Fazer a vontade de Deus e sua obra. (v 34)

A. A vontade de Deus é a colheita: não é a sua vontade que alguém pereça (2 Pedro 3:9)
B. Jesus estava interessado em completar a vontade de Deus: Não é o suficiente começar, mas terminar. Na cruz, ele disse: “Está consumado”. Paulo disse: 2 Timóteo 4:7“Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé”.

V. Saber que agora é a hora. (v 35a)

A. Não quatro meses à frente: O natural seria assim. Alguns dizem que isso foi por volta de dezembro a safra que acabara de ser plantada e a colheita estava distante 4 meses, perto da Páscoa. A ceifa é o fim dos tempos (Mateus 13:39).
B. Outros podem ter semeado, vamos colher: Houve uma fundação, mesmo entre os samaritanos para compreender o evangelho. Ela disse que Jacó era o pai dela, ela sabia que o Messias viria. Jesus foi colhendo com isso. A colheita é o fim dos tempos. Amós 9:13, o ceifeiro será ultrapassado pelo lavrador (v 36b, semeador e ceifeiro feliz juntos).

VI. Ter visão para isso. (v 35b)

A. Abra os olhos: Os discípulos não podiam ver isso. Necessidades prementes cegam para as grandes coisas acontecendo.
B. A visão é crucial: Sem ela, perecemos (Provérbios 29:18). No natural são os nossos olhos (Mateus 6:22-23).

VII. Prepare-se para ser abençoado. (v 36)

A. O ceifador recebe salários: O Senhor da messe é um bom pagador. Podemos esperar uma grande bênção na colheita.

Conclusão: A interação de Jesus com a mulher samaritana nos ensina estes princípios da colheita. Será que estamos preparados para entrar na colheita, para reconhecer o tempo e dedicar nossas vidas ao Senhor da messe?

Provérbios 10:5 “O que ajunta no verão é filho prudente; mas o que dorme na sega é filho que envergonha”.

Nenhum comentário: