segunda-feira, 20 de junho de 2016

Home Esboços de Sermões Familia A Verdade Sobre o Divórcio A Verdade Sobre o Divórcio

A Verdade Sobre o DivórcioTexto: Mateus 19:1-12 

“Tendo Jesus concluído estas palavras, partiu da Galiléia, e foi para os confins da Judéia, além do Jordão; e seguiram-no grandes multidões, e curou-os ali. Aproximaram-se dele alguns fariseus que o experimentavam, dizendo: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo? Respondeu-lhe Jesus: Não tendes lido que o Criador os fez desde o princípio homem e mulher, e que ordenou: Por isso deixará o homem pai e mãe, e unir-se-á a sua mulher; e serão os dois uma só carne? Assim já não são mais dois, mas um só carne. Portanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem. Responderam-lhe: Então por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio e repudiá-la? Disse-lhes ele: Pela dureza de vossos corações Moisés vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas não foi assim desde o princípio. Eu vos digo porém, que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de infidelidade, e casar com outra, comete adultério; [e o que casar com a repudiada também comete adultério.] Disseram-lhe os discípulos: Se tal é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar. Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem aceitar esta palavra, mas somente aqueles a quem é dado. Porque há eunucos que nasceram assim; e há eunucos que pelos homens foram feitos tais; e outros há que a si mesmos se fizeram eunucos por causa do reino dos céus. Quem pode aceitar isso, aceite-o”. 
Introdução: Evidentemente, muitos ainda mantem o casamento em alta estima. Certamente, qualquer pessoa que tenha passado pelo desgosto de um divórcio sabe que o casamento não é um jogo.

Quando olhamos para esta passagem da Escritura em Mateus, capítulo 19, ela nos lembra de que sempre houve dúvidas e controvérsias quanto à questão do divórcio, é provavelmente por isso que os fariseus trouxeram esse assunto "batata quente" a tona. 

As coisas não mudaram. O divorcio ainda é um tema controverso na nossa sociedade e no mundo da igreja hoje. Embora amplamente experiente e geralmente comum, ainda é um assunto que a maioria dos cristãos não quer discutir. Se você diz que há muitas razões aceitáveis ​​para o divórcio - você é um liberal e um transigente. Se você diz que praticamente não há razões aceitáveis ​​para o divórcio - você é taxado de conservador e de coração duro. 

Portanto, é isso que temos. Todo mundo toma partido no debate. Mas o que acontece com as pessoas envolvidas? Você sabe aqueles passando por isso. Alguém já parou para pensar que "quem está certo" e "quem está errado" no debate é de muito pouca preocupação para aqueles que estão assistindo suas vidas e famílias desmoronar. 

Eu não vou tentar responder todas as perguntas hoje sobre o assunto do divórcio. Em vez disso, nós queremos olhar para várias verdades negligenciadas sobre o divórcio. 

I. O divórcio é um desvio do plano de Deus.

A. O plano de Deus para nossas vidas é um plano de felicidade e realização. 
É importante lembrar que Deus quer que o Seu povo prospere e seja abençoado como prospera nossa alma. Ele é o autor de todo bom e perfeito dom; por isso, seria razoável que a nossa casa desmoronando nunca seria uma parte de Seu plano. 

Leia também: A receita para um grande casamento 

B. Deus fica naturalmente, descontente quando nos desviamos de Seu plano. 
Quando olhamos para a escritura, não vemos Deus condenando pessoas divorciadas, mas sim o seu descontentamento nas pessoas que se desviam de Seu plano para suas vidas. 
De acordo com Mateus 19:5 é o plano de Deus desde o início que, "Por isso deixará o homem pai e mãe, e unir-se-á a sua mulher; e serão os dois uma só carne?" 
E no versículo 8 Jesus continuou: "Pela dureza de vossos corações Moisés vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas não foi assim desde o princípio”. 
Quando Cristo não tem o controle total de ambas as pessoas em um casamento o resultado é magoa e descontentamento. E a magoa e o descontentamento nunca esteve no plano de Deus. 

C. Nós nunca devemos olhar para o divórcio como "ordenado por Deus”. 
O divórcio é geralmente o resultado de uma ou de ambas as partes envolvidas não cumprir com o contrato conjugal. Seria bom se pudéssemos fazer algumas pessoas se comportarem, como Cristo deseja, mas não podemos. 

Muitas vezes, uma pessoa quer o divórcio e a outra não. Uma delas não se preocupa com o sentimento dos outros e a vontade de Deus, enquanto a outra parte está tentando "resolver as coisas”. 
Quando tudo falha, o divórcio é frequentemente o resultado. Pode até ser para o bem de um dos envolvidos; Deus pode até permitir. Mas nunca devemos procurar justificar o divórcio com o fundamento de que Deus quer que aconteça! 

II. O divórcio é uma experiência devastadora para todos os envolvidos.

A. O divórcio não é um jogo com os que o vivenciam. 
Tem sido dito que, "O divórcio é uma desastre cruel, estúpido e infeliz diante dos filhos, da igreja e de Deus”. 
"Um divórcio é como uma amputação: você sobrevive, mas há menos de você”. 
Billy Graham escreveu: "O divórcio é uma saída fácil, muitos pensam. Mas... a culpa e a solidão que experimentam, pode ser ainda mais trágica do que viver com seu problema”. 

B. A devastação pode continuar para os próximos anos na vida de nossos filhos. 
Em seu livro Second Chances, publicado em 1989 pela psicóloga Judith S. Wallerstein relata que o divórcio é devastador para as crianças. Ela estudou cem crianças por mais de uma década e concluiu que quase metade delas estavam afetada com ira, ansiedade e baixa autoestima quando entraram na vida adulta. 

C. A destruição vem de tal forma que a dor é muitas vezes o resultado das coisas nunca esperadas.
Por exemplo, um casal pode estar principalmente preocupado em sobreviver à batalha legal apenas para perceber que suas emoções foram muito mais danificadas do que a sua conta bancária. 

Uma grande árvore estava no alto da montanha. Ela sobreviveu ao granizo, as fortes nevascas, tempestades, o frio intenso de muitos anos. Então, finalmente, ela foi derrubada por um ataque de pequenos besouros. Assim é com o casamento. 

No entanto... 

III. O divórcio não destrói o valor de uma pessoa.

A. O nosso valor como seres humanos se baseia no fato de que fomos criados à imagem de Deus. 
Cristão ou não, Deus ama cada um e considera todos valiosos o suficiente para morrer por nós. 

B. Nosso valor como filho de Deus é que somos as obras de Suas mãos. 
Efésios 2:10 nos diz: "Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antes preparou para que andássemos nelas" 

C. O pecado, o sofrimento e os problemas pode causar grande dor, mas o nosso valor permanece. 
Algumas pessoas que se divorciaram disseram, ao entrar novamente no cenário social que se sentiam como bens danificados ou fracassados que ninguém iria querer. Essa não é a maneira que Deus as vê! 
Paulo escreveu em Romanos 3:22-24, "isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos os que crêem; pois não há distinção. Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; sendo justificados gratuitamente pela sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus" 

Conclusão: Existe alguma esperança? Sim! 
• Para aqueles que estão pensando em se casar - há uma grande dose de esperança para um casamento feliz quando ambos estão unidos em Cristo. 
• Para aqueles que estão casados ​​– pensando em divórcio - se há esperança o casamento pode ser salvo; tente! 
• Para aqueles que são divorciados ou se divorciaram – deixe isso para trás e ame e siga a Deus! 

Leia também: Segredos para um casamento bem sucedido 

Aqueles que são divorciados devem ver o seu valor aos olhos de Deus. A igreja da mesma forma deve ver o valor das pessoas divorciadas em sua congregação. 
Aqueles que estão sofrendo por causa de um divórcio devem perdoar e seguir em frente com a graça e ajuda de Deus. 

Pr. Aldenir Araújo

Nenhum comentário: